0item(s)

O seu carrinho de compras está vazio.

Product was successfully added to your shopping cart.
Anterior

DE MASAI MARA AO LAGO TURKANA

Anterior

Moçambique Um cruzeiro nas Quirimbas

Moçambique Um cruzeiro nas Quirimbas

Visão rápida

Crónicas ilustradas de uma viagem a Moçambique, inserida no 6º Congresso Luso-Moçambicano de Engenharia, Maputo, Moçambique, 29 de agosto a 2 de setembro de 2011, para apresentar 2 artigos, participar num outro e moderar duas sessões. Após ter escrito “De Cayo em Cayo” (2010)...

Stock: Esgotado

13,99 €

Detalhes

Crónicas ilustradas de uma viagem a Moçambique, inserida no 6º Congresso Luso-Moçambicano de Engenharia, Maputo, Moçambique, 29 de agosto a 2 de Setembro de 2011, para apresentar 2 artigos, participar num outro e moderar duas sessões. Após ter escrito “De Cayo em Cayo” (2010) e “De Pedra em Petra” (2011), não podia deixar de voltar de novo a colocar no papel as quase indescritíveis sensações vividas numa terra que pisei pela terceira vez, desta feita na companhia do meu grande amigo Augusto, que com a sua alegria e espírito aventureiro, juntamente com o “sentir África”, emprestaram a esta viagem uma magia que só se vive uma vez na vida. Atrevo-me a dizer que não fomos mais os mesmos após esta viagem, pois passamos a ver o mundo com outros olhos, com uns olhos que apenas vê quem um dia pisou o solo do Continente Africano! Parti do Porto de comboio, via Lisboa para Maputo. Chegamos cedo, para demorarmos um dia inteiro a alugar um Jipe que nos levaria até à Ponta do Ouro, junto à fronteira com a África do Sul. Após a conferência viajamos de avião para Pemba, para após umas 3h de viagem de carro, chegarmos a Mucojo para aí começarmos um cruzeiro, num dhow de nome Vagabundo, por ilhas virgens, águas cristalinas e corais multicolores e um povo amigo e genuíno, para acabarmos na incrível ilha do Ibo, numa varanda rasgada para o mar, deixando ver até a nossa mente. Regressamos de avioneta a Pemba para então iniciarmos a travessia aérea que acabaria por nos depositar de novo na Invicta. Pelo caminho ficaram sensações e imagens incríveis de uma terra e de um povo, fora das rotas turísticas, que deixo aqui gravadas, para uma memória eterna. JLino Alves, 10 dezembro 2011

Informação Adicional

Nome do Autor 1 Jorge Alves
Nome do Autor 2 Jorge Lino Alves
Editor Não
Tipo de Papel Couche 120 gr.
Formato A5
Tipo de Impressão Cores
Tipo de Encardenação Capa Mole
Número de Páginas 123