0item(s)

O seu carrinho de compras está vazio.

Product was successfully added to your shopping cart.
  • Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus - 2010 Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus - 2010
Anterior

Pedaços do meu ser

Anterior

A Máquina de Gerar Névoa

Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus - 2010

Visão rápida

O Papel do Escritor Contemporâneo

Mais que apenas folhas em branco, muito mais que rascunhos e rabiscos, ao escritor cabe a importante missão de registrar acontecimentos de toda uma vida. Abrir a janela diariamente e colher dados, argumentos, simbolismos e personagens capazes de enredar uma trama;...

Stock: Em Stock

3,17 €

* Campos Obrigatórios

3,17 €

Detalhes

O Papel do Escritor Contemporâneo Mais que apenas folhas em branco, muito mais que rascunhos e rabiscos, ao escritor cabe a importante missão de registrar acontecimentos de toda uma vida. Abrir a janela diariamente e colher dados, argumentos, simbolismos e personagens capazes de enredar uma trama; seja sensível como a poética, repleto de humor e informação tal qual o cordel ou o misto de ficção e realidade das crônicas, do conto e do romance. Estilo e gênero são importantes para que a mensagem seja assimilada, o público é diversificado, a interpretação certamente será intensa e variada. O papel do escritor é não deixar folhas em branco, registrar com inteligência e sabedoria o cotidiano, doar vida ao ambiente vazio, cor a cada primavera de flores e aromas que invadem a alma, mesmo sob o sol escaldante do verão intenso. Trazer reflexão sobre temas que passariam despercebidos, escrever, escrever e escrever, registrar em periódicos, blogs, sites e produzir livros, que se perpetuem ao longo dos tempos. Um ser tão plural, rico de imaginação, fértil de sonhos verdadeiros, provenientes do sertão, do litoral ou da nossa capital... Os caminhos percorridos, atividades que desempenham, o olhar debruçado sobre o cotidiano, notícias, acontecimentos, morte, nascimento, sol, chuva, lua, mar e ar que respiramos são inspirações. O amor, ah! sim, o amor e suas vertentes são temas mais que recorrentes. Uma incursão por algumas prateleiras e a certeza de viajar por toda a Bahia, a partir do olhar de escritores contemporâneos, que se empenham no cumprimento de tão nobre missão, registrar a emoção da vida, simples linhas que se tornam complexas, ultrapassam o tempo... Quem conta um conto aumenta um ponto, quem descreve um causo aumenta um ponto, quem faz poesia, aumenta também um ponto... Antonio Barreto, Ivonete Almeida, Leandro Flores, Antonio Santana, Carlos Alberto Barreto, Bule Bule, José da Boa Morte, Roberto Leal, Vanise Vergasta, Almirante Águia, Germano Machado, Euclides da Luz, Clara Maciel, Gabriel Francisco Maciel, Uitan, Camila Maciel, Antoniela Devanier, Tildo Gama, Andriz Petson, Franklin Junior, Lucas da Hora, Miriam de Sales, Janaina Oliveira, Léo Dragone, Domingos Ailton, Antônio Cedraz (Xaxado), Francisco Sá, Marcos Peralta, Maria da Guia, Ivone Sol, Irailton Lua, Ewerton Lima, Carlos Conrado, Lima Trindade, Geraldo Maia, Sandra Stabile, Fau Ferreira, Cymar Gaivota, Carlos Souza, Grigório Rocha, Dante Barbosa, Aurélio Schommer, Laé Souza, Vera Passos, Edson Costa, Pedro Magalhães, Angelo Paraíso Martins, Conceição Ferreira, Nilmário Quintela, Generino Gabriel, Nadia Poeta, Jairo Macário, Valdeck Almeida de Jesus, Leandro de Assis, Pinho Sannasc, Deomídio Macêdo, Luiz Menezes, Lourenço Filho, Edgar Velame, Gibran, Varenka de Fátima, Jotacê Freitas, Franklin Maxado, G. Amarante, Carlos Ventura, Aloisio Lisboa, Rosana Paulo, Nilmário Quintela, Rosane Rubin, Pedro Cézar, Mirinho da Bahia, Benjamin Batista, Dalva Nascimento, Malu Freitas, Ewerton Matos, Tássio Revelart, Dé Barrense, Josué Ramiro, Jônatas de Souza, Malú Ferreira, Jayme Poeta, Carlos Vilarinho, Eurípedes Barbosa, Nádia Poeta, Aline Vitória, Pareta Calderasch, Inaê Sodré, Fátima Trinchão... são apenas alguns dos autores que garantem aos poucos inúmeros pontos acumulados, preenchem lacunas de uma sociedade presente em estilos diversificados e não deixam a história passar em branco... A crônica do dia a dia é registrada, no futuro, quando o contemporâneo se tornar passado, alguns nomes serão lembrados, farão parte do futuro, na certeza da missão plenamente realizada, das palavrinhas que se tornam enredos, povoam páginas de papel outrora em branco, visitadas por olhares apreensivos e curiosos, ávidos por compreender o contexto que viveu nosso povo brasileiro, baiano, contemporâneo. Renata Rimet Educadora Social Chanceler Cultural A Plêiade Confreira CAPPAZ- Confraria Artistas e Poetas pela Paz Membro Correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni - ALTO Bacharel em Administração de Empresas Licencianda em Letras

Informação Adicional

Nome do Autor 1 Valdeck outros
Nome do Autor 2 Valdeck Almeida de Jesus
Editor Renata Rimet
Tipo de Papel Branco 80 gr.
Formato A5
Tipo de Impressão Preto e Branco
Tipo de Encardenação Capa Mole
Número de Páginas 265